"A principal meta da educação é criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe." (Jean Piaget)

Google Translate
ArabicBlogger Tips And Tricks|Latest Tips For BloggersFree BacklinksBlogger Tips And Tricks Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

terça-feira, 2 de junho de 2009

GOLFINHOS


Sotalia guianensis
Aqui vão informações sobre a espécie da foto acima. Espécie que foi estudada por mim na faculdade de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas, pela UFPA- Universidade Federal do Pará- Campus de Bragança. Essa foto foi feita na Baía do Rio Emboraí em Nova Olinda-Pará durante uma das minhas saídas à campo para coleta de dados. Quem quiser uma cópia de meu artigo deixe um comentário com seu e-mail que será um prazer em enviar.
Os cetáceos atuais são agrupados em dois grupos: os Odontoceti (baleias, golfinhos e botos com dentes, que são carnívoros) e o Mysticeti (baleias com barbatanas, que são planctófagas) (Carvalho, 2000).
No Brasil há registro de 38 espécies da ordem, sendo oito espécies de baleias e trinta de golfinhos, correspondendo a uma das maiores diversidades no mundo deste grupo (Beltrán-Pedreros, 1999).
O fóssil mais antigo dos cetáceos pertence à família Protocetidae do Eoceno (57,8 milhões de anos atrás), quando as adaptações à vida aquática foram evidentes (Beltrán-Pedreros,1999 apud Eisenberg, 1981).
São animais que sofreram grandes modificações em relação a mudança da terra para a água durante sua evolução. Suas formas correspondem a corpos alongados, ossos porosos, membros torácicos curtos e dedos longos recorbertos por membranas interdigitais, formando nadadeiras. Ocorreu desaparecimento dos membros posteriores, restando apenas pequenos vestígios pélvicos sob a pele. Apresentando uma cauda bem desenvolvida. Houve migração das aberturas nasais para o topo do crânio, fazendo com que a respiração seja fora d’água (Carvalho, 2000).
Funcionando apenas como estruturas sensoriais, os pêlos, estão presentes de forma muito discreta na região da cabeça das baleias como franca e jubarte. Em outras espécies que possuem o rostro, os pêlos localizados nessa região desaparecem nos primeiros dias após o nascimento (Oliveira Santos, 1996).
A nadadeira dorsal da família Delphinidae é nitidamente visível. Possuem dentes cônicos que localizam-se na maxila e mandíbula. Eles podem apresentar rostro longo, reduzido ou ausente (Beltrán-Pedreros, 1999 apud Pinedo et al, 1992).
Correspondendo a um dos menores delfinídeos, Sotalia guianensis, (Figura 1) é uma espécie que possui pouco estudo a seu respeito. Possui dados biológicos coletados de forma oportunística ou em áreas restritas em toda sua extensão de ocorrência no Brasil (IBAMA,1997 apud Flores 1992).
A distribuição do S. guianensis corresponde a costa leste das Américas do Sul e Central, desde Santa Catarina até a Nicarágua (Edwards & Schnell, 2001, Borobia et al., 1991) (Figura 2). O S. guianensis encontra-se em águas costeiras (incluindo desembocadura de rios e baías) e na Bacia Amazônica, onde é conhecido como o popular boto-tucuxi (Hetzel & Lodi, 1996).
Em geral a espécie S. guianensis, é avistada em pequenos grupos de 2 a 6 animais (Hetzel & Lodi, 1996). Ocasionalmente são vistos grupos de mais de 60 indivíduos (Hetzel & Lodi, 1996). De comportamento tímido evitam se aproximar de embarcações e nadam devagar. Geralmente ao nadar só é possível avistar o dorso. Saltam e batem as nadadeiras esporadicamente (Hetzel & Lodi, 1996). Estalos, gritos, gargarejos, assobios e cliques fazem parte de seu sistema de vocalização, estando diretamente relacionados com a atividade que estão desempenhando no momento da emissão do som (social/lúdico, captura de presa, cortejando a fêmea, etc) (Monteiro & Monteiro, 2001). A maturidade sexual é atingida com cerca de 1,6 metro, para ambos os sexos. Apresenta uma gestação em torno de 11 meses, os filhotes nascem medindo de 0,6m a 0,8m e os adultos apresentam um comprimento médio de 1,7 m e máximo de 2,2 m com peso médio de 50kg (Hetzel & Lodi, 1996).
O estudo da biologia e ecologia de cetáceos apresenta diversos problemas, pois devido ao ambiente aquático os animais só são parcialmente visíveis por intervalos de tempo curto (Hayes apud Tayler & Saayman, 1972). Muitas vezes o local de estudo possui um difícil acesso, fazendo com que a obtenção de dados seja um processo lento, com informações fragmentadas (Hayes, 1998 apud Win & Olla, 1979). Problemas de condições de tempo podem prejudicar as observações.
Clique aqui e baixe meu artigo sobre essa espécie.

12 comentários:

  1. Dani, Que beleza de materia, só faltou informar que aa baia do rio Emboraí fica em Nova Olinda Distrito do Municipio de Augusto Corrêa - Pará.

    ResponderExcluir
  2. Nossa Dani, lindo e interessante esta matéria sobre golfinhos, já vi que neste seu blog, só aprendemos, pois ele é um verdadeiro celeiro de boas informações, parabéns mas uma vez. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Dani, vai la em casa, tem um texto bom pra voce comentar.

    www.osintensos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi dani, eu quero que tu mande a cópia do teu artigo> o e-mail é: marcelo.aguiar2@yahoo.com.br

    Muito interessante a matéria

    bjooo

    ResponderExcluir
  5. Primeiramente gostaria de parabenizar pela iniciativa, pelo belíssimo trabalho. Uma vez fiz uma viagem a trabalho que durou 30 dias, dos quais 20 foram pescando tubarão.Usávamos uma rede de 9 metros de largura e 6.000 metros de comprimento. Soltávamos a rede durante o entardecer e puxávamos ao amanhecer, vinham grandes tubarões, mas infelizemente também vinham bastante golfinhos, inclusive casais com filhotes e nesse momento sentia-me mal com a impotência de não evitar a consequência da atividade. Foram muitos golfinhos mortos; havia dias em que chegavam a dezenas...!. Mas isso ocorria sempre que nós pescávamos perto de águas rasas, onde a água era suja, pelo que marcava o GPS estaríamos na costa do Amapá e sobre influência do Rio Amazonas. Quando saímos para águas mais profundas e estávamos soltando a rede para mais uma noite de pescaria, surgiu um grupo de golfinhos que passava dos 50 exemplares e deram um espetáculo que dificilmente voltarei a ver outra vez.Passado a euforia do espetáculo me veio a apreensão de ver a rede na água e os golfinhos por perto; anoiteceu e não consegui dormir imaginando quantos iríamos retirar da rede no dia seguinte. Amanheceu e para minha grande surpresa não veio um sequer, ficando uma grande dúvida: - os golfinhos de alto-mar são mais inteligentes dos que vivem nas regiões de estuário e rios de água doce? marciusnei@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oiiii,adorei essa sua matéria,gostei muito mesmoo faço estágio em um projeto de cetáceos e a cada dia acho mais interesantes esses animais!gostaria que você me enviasse esse seu artigo seria de grande utilidade!estou aguardando parabéns!

    suzanaslbittencourt@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. Muy interesante tema. :)
    Eu não sabia que tinham tantas espécies de golfinhos no Brasil
    E os dados sobre a sua evolução são fascinantes
    :)
    E quais aspectos dos golfinhos foram estudados por você? Desculpe a curiosidade :P

    Saudações! :)

    ResponderExcluir
  8. Oi Professora gostei muito do seu artigo;gostaria que você enviasse uma copia dessas pra mim, ficaria honrrada de receber algo do seu trabalho.

    ResponderExcluir
  9. ESSA MÁTERIA É MUITO LEGAL,GOSTEI MUITO PARABÉNS...ESSES GOLFINHOS SAÕ TAÕ FOFINHOS,GUE SEU TRABALHO CONTINUI EVOLUIDO CADA VEZ MAIS....BJS

    ResponderExcluir
  10. Adorei essa máteria!é muito interessante! PARABÈNS

    ResponderExcluir
  11. Eu acho muito importante saber alguma coisa sobre os golfinhos, pois eu acho eles tão interessantes.

    ResponderExcluir
  12. gostei muito dessa postagem dos golfinhos , eles são tão fofinhos.

    ResponderExcluir

COMPARTILHE

EDUCA TUBE

ONDE ESTÃO AS BALEIAS E OS GOLFINHOS?

Postagens populares

LELA ORCA NAS REDES SOCIAIS

MAPA DOS SEGUIDORES DE LELA ORCA NO TWITTER

PAÍSES QUE ACESSAM DESDE 28/10/2011

free counters