"A principal meta da educação é criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe." (Jean Piaget)

Google Translate
ArabicBlogger Tips And Tricks|Latest Tips For BloggersFree BacklinksBlogger Tips And Tricks Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

domingo, 7 de julho de 2013

400 ANOS DE BRAGANÇA-PARÁ-BRASIL !

Se mil vezes eu nascer, mil vezes bragantina quero ser.

 A orla de minha terra.

Com tanto amor por esta Bragança não poderia essa semana ser diferente minha postagem nesse veículo de informação. Nascida, criada e "engordada", como sempre digo, nesta cidade, sei o valor da brisa no rosto provinda do Rio Caeté, sei do sabor do pescado oriundo dessas águas e sei ainda mais que não sou a única a amar-te Bragança.


Do nascer ao pôr-do-sol és linda, porque és minha Bragança.
 A canoa preguiçosa, na margem do Caeté, esperando outro dia de trabalho.
 Das margens do teu rio, para teus cantos e encantos.



 Ajuruteua és uma beleza a parte.

Vila dos pescadores- Ajuruteua.
Na religiosidade não poderia jamais esquecer de meu glorioso São Benedito. E abaixo meu primeiro texto feito com o melhor de mim, para minha Bragança.
 Instrumentos das Comitivas de São Benedito.












Aqui minha declaração de amor á Bragança- Pará- Brasil!
Bragança 26 de dezembro
O dia amanheceu já vejo o sol raiando detrás do mirante de teu padroeiro, espalhando o dourado solar que vem aquecer bragantinos, muito me lembra obras de Van Gogh, com sua paixão pelo amarelo. As curvas do teu rio copiam as das paraenses de cabelos ondulados imitadas pelas águas que banham Ajuruteua.
A feira acorda junto com o quadro pintado pelo capitalismo, onde barcos pesqueiros atracados no cais estão a subir e descer nas ondas que vão e vem no esvaziamento e enchimento da maré, enquanto aguardam o descarregamento do pescado. A orla úmida do sereno recebe os primeiros pés que transitarão no dia que chega. No vai e vem dos transeuntes a imponência das imperiais palmeiras na tua orla, lembram-me guardiões de preciosidades infinitas, inspirando-me segurança, testemunhando o movimento do Caeté, enquanto marujos se preparam para a procissão.
Hoje o Santo percorrerá as ruas dessa pérola, onde amor e fé misturam-se nesse mar de gente que o acompanham e o saúdam. Marujas e suas fitas colorem esse momento aguardado o ano inteiro. Marujos de chapéus na mão reverenciam São Benedito. Nesse instante o batimento cardíaco vai no compasso do retumbão.
No crepúsculo rubro do entardecer aclamando o santo que vem vindo, no céu que escurecerá, brilho dos foguetes alegram os olhos de quem vê a obra formada, nessa efêmera contemplação, de quem te ama Bragança querida. 
Com todo o meu amor!
Daniela Torres Lela Orca

2 comentários:

  1. Linda homenagem.... Linda Bragança.. Minha terra querida e amada!

    ResponderExcluir
  2. São belas as fotos que você fez para saudar a passagem do aniversário de Bragança, Daniela; parabéns!

    ResponderExcluir

COMPARTILHE

EDUCA TUBE

ONDE ESTÃO AS BALEIAS E OS GOLFINHOS?

Postagens populares

MEU CANAL

Loading...

LELA ORCA NAS REDES SOCIAIS

MAPA DOS SEGUIDORES DE LELA ORCA NO TWITTER

PAÍSES QUE ACESSAM DESDE 28/10/2011

free counters